Oncologia Veterinária – Uma esperança para os animais com câncer
Oncologia Veterinária – Uma esperança para os animais com câncer

Oncologia Veterinária – Uma esperança para os animais com câncer

Quem convive com animais como cães e gatos sabe que, assim como no mundo dos seres humanos, o câncer é um problema relativamente frequente no universo animal – sendo necessária a atuação de profissionais especializados para cuidar dos bichinhos afetados por este mal. A oncologia veterinária é, portanto, a principal esperança de solução para os que têm um pet doente em casa, buscando diagnósticos precisos e tratamentos eficientes que possam curar animais deste terrível mal.

Embora haja uma série de fatores externos que podem desencadear o surgimento de tumores e do câncer em cães e gatos, em boa parte dos casos, os motivos do aparecimento desse tipo de complicação são genéticos; ocorrendo ao longo da vida do animal em função de mutações das mais variadas. Com isso em vista, fica um pouco mais claro entender que o surgimento deste tipo de problema na vida dos animais é um tanto quanto imprevisível, e é por isso que a oncologia veterinária se torna uma especialidade tão importante nos dias de hoje.

Junto com isso, outro fator que também deve ser ressaltado é o de que, segundo uma série de estudos e pesquisas realizadas no mundo da oncologia veterinária, o câncer é, hoje, um dos principais motivos para o óbito de animais de pequeno porte.

Aparecendo, na maioria das vezes, em cães e gatos de mais idade (a partir dos 10 anos de vida), os tumores também podem aparecer nos animais tendo infecções virais de diferentes naturezas como grandes incentivadores – fazendo com que um pet já debilitado por uma doença possa adquirir outra ainda mais complicada como parte do seu desenvolvimento.

Embora os procedimentos cirúrgicos sejam o tratamento mais indicado nos dias de hoje a medicina veterinária oncológica vem fazendo uma série de avanços ao longo das últimas décadas, atualmente já é possível encontrar tratamentos alternativos (como a quimioterapia e a eletroquimioterapia) para tentar achar soluções para a doença – que se apresenta nos animais, principalmente, em forma de tumores hematopoiéticos, cutâneos e mamários.

Desencadeadores de tumores em animais

Conforme citado previamente, o aumento da longevidade dos animais é um dos fatores principais para o aparecimento de tumores em cães e gatos, sendo que, quanto maior for a idade do animal, maiores serão as suas chances de desenvolver algum tipo de câncer.

Além disso, fatores genéticos também fazem parte desse conjunto de facilitadores da doença, e diferentes mutações sofridas pelos cães e gatos ao longo de suas vidas podem ser parcialmente responsáveis pelo aparecimento de doenças.

A exposição à elementos externos, como o sol e produtos químicos diversos, também podem influenciar no desenvolvimento do câncer e; portanto, manter os pets afastados desse tipo de fator pode ser válido como uma tentativa de preveni-los contra esse mal.Além disso, a castração – tanto em machos quanto em fêmeas – também pode ajudar muito na prevenção de diversos tipos de câncer.

Sintomas do câncer em cães e gatos

Cada tipo de câncer pode se manifestar de diferentes maneiras, no entanto, um dos principais indicadores desse tipo de doença é a presença de nódulos aparentes e relativamente palpáveis. O aumento da massa abdominal, a perda de peso sem motivos concretos, dificuldade em respirar, em comer, em engolir e até em defecar também fazem parte dos sinais que podem apontar para o câncer em animais – sem deixar de lado o sintoma de sangramentos espontâneos, que podem ocorrer tanto junto com as fezes e a urina do animal quanto por meio de outros orifícios do seu corpo.

Principais tipos de câncer em pets

De acordo com pesquisas recentes, os tumores estão, hoje, entre os principais motivos de morte entre cães e gatos; sendo que, de um modo geral, as fêmeas estão mais sujeitas à este tipo de complicação. Os principais tipos de câncer que se desenvolvem nestes animais são:

– Tumores mamários e de ovário: Ocorrem, principalmente, em fêmeas não castradas.
– Tumores cutâneos: Pode se manifestar na pele ou internamente, e costuma afetar gatos despigmentados, além dos cães.
– Câncer de pele: Desencadeados em função da exposição frequente ao sol, entre outros fatores.
– Tumores hematopoiéticos: Atinge as células formadoras de tecido sanguíneo, gerando linfomas e leucemias nos animais.

Adicionar comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *